sábado, 23 de janeiro de 2016

Pensando alto: Certezas são provisórias.

"Certezas são provisórias", disse um professor durante a aula. Eu me apressei em escrever a frase no caderno, com medo de esquecê-la. Besteira. Essas palavras ficaram gravadas em mim como tatuagem.

Como tatuagem também tenho aquela frase "nada é permanente, exceto a mudança" que fica perambulando pela internet. O autor eu não posso afirmar (segundo os sites de busca, Heráclito), mas posso garantir que ela foi reescrita em vários cadernos, diários e, principalmente, no subnick do meu msn (já vou confessando aqui, sem querer, a minha idade e uma mania incrivelmente persistente de usar frases de efeito, às vezes querendo causar efeito em alguém vulgo indireta  ou querendo me convencer de alguma coisa).

Mas com 13/14 anos, que certezas eu tinha para serem desfeitas? Certeza que passaria de ano direto, que me casaria com o primeiro namorado, que meus irmãos não gostavam de mim ou que minhas melhores amigas me excluíam. Certeza que seria jornalista, que teria filho aos 24, que sempre cuidaria da alimentação, sempre teria a marquinha do biquíni e nunca pesaria mais que 49 quilos.


Mas eu mudei e quando a gente muda a maioria das nossas certezas mudam também.
Ou as nossas certezas mudam e fazem a gente mudar com elas.

Tanto tempo depois construí outras certezas: algumas ainda estão de pé, outras eu mesma fiz desmoronar. Algumas foram destruídas por terceiros e sei que eu também fui responsável por levar ao chão as certezas de alguém (ou de algumas pessoas). Aos 25 anos começo a pensar que bom mesmo é não ter certeza de nada. Certezas são tão perigosas quanto as expectativas, são capazes de nos sustentar, mas quando se desfazem, são fortes o bastante pra nos deixar sem ter onde pisar.

Só que a vida às vezes é tão boa que a gente só queria ter certeza de que ela pudesse permanecer assim.
Só que a vida às vezes é tão boa que EU só queria ter certeza de que ela permanecesse assim. Eu queria, enfim, uma certeza permanente.

Mas pra isso eu teria que não mudar. As pessoas a minha volta não poderiam mudar também.
E depois que penso isso, lembro que "nada é permanente, exceto a mudança".

Então talvez eu mude meu cabelo.
Mude as roupas que visto e mude os móveis de lugar.
Mude o jeito de olhar pra vida e aceite que certezas mudam e que o permanecer é provisório.



2 comentários:

  1. Mas é bem isso Lali, é assim que penso sobre opiniões, pois as minhas estão sempre mudando, e pq? Pq sou duas caras? Não, pq sigo mudando e evoluindo e com isso as opiniões mudam tb :)

    ResponderExcluir
  2. Mas é bem isso Lali, é assim que penso sobre opiniões, pois as minhas estão sempre mudando, e pq? Pq sou duas caras? Não, pq sigo mudando e evoluindo e com isso as opiniões mudam tb :)

    ResponderExcluir